quinta-feira, 22 de junho de 2017

É Festa não é Evento e é Abertura da Fechadura

Boneca para queimar do Bonfim
Depois da discussão na reunião do Executivo e que se concluiu que na Guarda se organizam eventos e não festas, voltou tudo à estaca zero.
Os eventos são festas e a festas continuam festas.
É o que se depreende de um convite da câmara e que vai circulando
O Presidente convida para a abertura do encerramento das Festas dos Santos dos Bairro.
Portanto é claro: São festas Senhor…
O mais interessante de tudo é ser uma “ Abertura Oficial da Festa de Encerramento”. Pretextos…

quarta-feira, 21 de junho de 2017

E os buracos lá estão

Mira-me Alvarito
Como estou esburacada
No passeio e na caixa
Estou toda escangalhada

Tenho muitos buracos e há muitos afazeres
Muita gente a reclamar na rua eFe dos Prazeres

Mira Alvarito
Ponha cá mais um cartaz
Sempre é mais barato

Que os buracos arranjar.

terça-feira, 20 de junho de 2017

De volta ao Jardim José de Lemos

Volto ao Jardim José de Lemos para lembrar duas coisas e fazer um convite
Lembrar que poderiam ter identificado o Senhor José de Lemos e os autores dos projectos do jardim.
Lembrar que a iluminação do monumento aos “Mortos da 1ª Guerra Mundial” é inexistente e que há dias á noite que o monumento parece um mostro, julgo mesmo que o projectista quis esconder o monumento tirando-lhe a luz.
Convidar o autor do projecto a sentar-se nos bancos que criou, num qualquer dia de verão, entre as treze horas e as vinte e uma horas e confirmar o conforto dos ditos e se é assim no verão, com o rabo a escaldar, estamos a imaginar como será no inverno com o rabo gelado.
E ainda para confirmar que algum silêncio e intimidade que tinha o jardim, desapareceram por completo com a retirada das sebes que o circundavam.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Candidatos à Câmara da Guarda em 18 de Junho

Segundo a Comunicação Social da Guarda as listas para candidatos às eleições autárquicas de Outubro começam a ganhar forma.
Aqui estão compiladas as primeiras informações relativamente aos candidatos ao Executivo.
PSD
1º - Álvaro Amaro
2º - Manuel Rodrigues. 1º Supl Jacinto Dias. 2º Supl Chaves Monteiro
3º -Alexandra Isidro. 1º Supl Lucília Monteiro. 2º Supl Gestora da Guarda em Coimbra
4º - Dulcineia Moura. 1º Suplente Cecília Amaro. 2º Suplente Rita Figueiredo. 3º Supl Sérgio Costa
5º - Sérgio Costa. 1º Supl Victor Amaral
6º - Cecília Amaro
7º - Constantino Rei
PS
1º- Eduardo Brito
2º Pedro Fonseca
CDS
1º - Carlos Adaixo
CDU
1º Carlos Canhoto
BE
1º - Jorge Mendes

domingo, 18 de junho de 2017

Um Divã para Eduardo Lourenço – SIAC2

Através de um pintor espanhol, o SIAC2 - Simpósio Internacional de Arte Contemporânea da Guarda, homenageou Eduardo Lourenço com uma obra de arte colocada nos jardins da Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço.
É um divã ao alto e que fiz o favor de colocar na posição correcta, sem recurso ao fotoshop.
Uma bela obra.
A minha ou a dele?
A Eduardo Lourenço já lhe bastava a "sua" biblioteca. Ou era uma coisa mais valiosa ou não valia a pena. E valiosa não quer dizer grandiosa ou cara, bastava ser muito simples, por exemplo um livro.

sábado, 17 de junho de 2017

Conselhos no Presídio militar

Forte da Graça - Elvas
1 - …xem estar por
2 - Quando um dia suar o clarim para marchar e defender as glórias portuguesas não hesitaremos um segundo
3 – Mesmo em cima de um cavalo quando não haja mesas devem escrever à família

sexta-feira, 16 de junho de 2017

As minhas previsões eleitorais para os Municípios da CIMBSE antes dos eventos, das festas e das inaugurações

As próximas eleições autárquicas vão ser muito importantes, é de bom-tom dizer e são sobretudo importantes para a CIMBSE – Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela, sobretudo relativamente aos cargos de nomeação, Presidente e secretários Executivos e Sede.
As minhas previsões dos resultados de Outubro:
Almeida, actual PSD, antes PSD. E teremos quatro anos para abrir o balcão da CGD. E o de Vilar Formoso como fica?
Belmonte, actual PS, antes PSD. Haverá eleitores para tantos candidatos? Ganha quem pescar o vizinho.
Celorico da Beira, actual PS, antes PS. Põe-te a pau Zé. A surpresa pode ser grande.
Covilhã, actual PS, antes PSD. Vai chegar o TRex Pinto e tudo pode acontecer
Figueira de Castelo Rodrigo, actual PS, antes PSD. O rei dos eventos vai candidatar-se. Será que o povo quer papas e bolos?
Fornos de Algodres, actual PS, antes PSD. O maná que caiu do céu há quatro anos pode não voltar a cair.
Fundão, actual PSD, antes PSD. Com pedra e cal
Guarda, actual PSD, antes PS. Mais duas rotundas com a respectiva ornamentação e um evento e já está ganho.
Gouveia, actual PSD, antes PSD. Enquanto o PS dorme o PSD ganha avanço.
Manteigas, actual PSD, antes PS. Tanto posso ganhar eu como ganhares tu. Qual a família que vai mudar?
Mêda, actual PS, antes PS. E se os independentes voltarem a atacar, como fica isto?
Pinhel, actual PSD. A boa ventura parece que é para durar.
Sabugal, actual PSD, antes PSD. Os que emigraram eram do PSD, PS, ou CDS?
Seia, actual PS, antes PS. Não nos incomodem porque estamos aqui muito bem.
Trancoso, actual PS, antes PSD. Errar é humano e eu posso voltar a mandar, nem que seja de forma indirecta.
Nota: Com estes resultados é provável que Amaro passe a Presidente da CIMBSE e lá se vai a sede.

quinta-feira, 15 de junho de 2017

WC das Mulheres no Centro Coordenador de Transporte

Alguém me chamou a atenção para o estado deplorável em que se encontra o WW das Mulheres no piso inferior do Centro Coordenador de Transportes.
Como se sabe, todo o espaço foi remodelado e ficou em péssimas condições.
Segundo me dizem, de verão ou de inverno, chove no WC. O teto está negro do caruncho e o chão sempre molhado. Algumas cabines já estão fechadas por falta de condições.
Aqui fica o alerta de quem me alertou e mais não digo do que me disseram. 

quarta-feira, 14 de junho de 2017

A nova Iluminação da Rua do Comércio

Começou a ser testada a nova iluminação da Rua do Comércio.
Quem estava à espera de um deslumbramento, de uma torrente de luz, que tornasse a noite em dia, ficou decepcionado.
Umas réguas de lâmpadas LED penduradas nos arames que iam mudando de cor do branco ao vermelho passando pelo azul e pelo verde. Nada que impressionasse os passantes, que como eu ainda se deslocam às esplanadas Praça Velha, apesar daquele caos visual. Julgo que os artistas antes de começarem a trabalhar deveriam ter umas noções de organização e limpeza do posto de trabalho.
Se toda a rua ficar assim que aquela iluminação tenho muitas dúvidas que as mantenham.
Poderão arriscar-se a ter mais críticas que elogios.

O Triângulo descalcetado

Ali junto ao “Caçador” no triângulo com aquela coisa que tem o Augusto Gil escondido, a calçada está toda partida.
Os cubinhos estão a desaparecer e ali mesmo ao lado do renovado jardim.

terça-feira, 13 de junho de 2017

Felizmente!

Três cães a um osso . SIAC 2017
Do blogue “Ladrar à Lua” e sem pedir autorização, transcrevo a mensagem “Felizmente!”.
As fotos “Três cães a um osso são minhas”
“Publicada por Jorge Carvalheira”
“Digo-o sem dramatismos: a Guarda do rei Sancho Povoador mete pena”.
“Caída nas unhas duns paraquedistas oportunistas e outros istas, serve apenas para eles construírem currículo”.
“O Verão está aí, com os visitantes que traz. Mas o município, repetindo o gesto, entrega o miolo da cidade (ruas, praças e jardins) a uns pseudo-artistas que reeditam o simpósio internacional de arte contemporânea. Enquanto empestam o ambiente com obras, passadeiras coloridas pelas ruas e poeiradas imundas”.
“Vazias e incomodadas, as lojinhas fecham. Felizmente a Sé e o Sancho Povoador lá continuam. E o cu da Guarda também!”

segunda-feira, 12 de junho de 2017

A Nova iluminação na Rua do Comércio

A Rua do Comércio está a ficar muito interessante. Dezenas de metros de cabos de aço estão a ser esticados para neles apoiarem as lâmpadas que darão muita luz aquela rua.
Vai ser tanta luz que a noite da inauguração vai ser branca, como a luz do sol, que tem todas as cores, dizem.
O que não sei o que dizem, são os Bombeiros da Guarda. Se um dia houver por ali um incêndio e não foi há muito tempo que isso aconteceu, viu-se a dificuldade que há em mover o grande carro com a sua escada.
Será que foram consultados e não apresentaram objecções?
Se assim foi está tudo bem, pelo menos até ao próximo incidente.

domingo, 11 de junho de 2017

A Guarda está na Moda – SIAC 2

A Guarda já está no Mapa, já está no Radar e agora passou a estar na Moda
O SIAC 1 e o SIAC 2 (Simpósio Internacional de Arte Contemporânea) também está a contribuir.
Agora até nos vieram copiar as cadeiras. Como não tiveram dinheiro para comprar pregos e tinta aplicaram-nas no chão e no estado em que estava, inteiras, partidas, tortas, aos pedaços. 

sábado, 10 de junho de 2017

Feira de Antiguidades

Às vezes a bota não joga lá muito bem com a perdigota.
Vejamos a notícia da Rádio F
“A feira de antiguidades “mudou-se” para a alameda de Santo André, o local é do agrado da maioria dos feirantes”
“A Radio F foi ouvir os feirantes, acerca da mudança de local, a opinião é quase unânime, o local é mais agradável”.
“É a primeira vez que vem à Guarda, o local escolhido para a feira é bastante bom”.
“É um regular vendedor nesta feira na Guarda, desvaloriza a mudança de lugar, preferindo destacar a boa organização”.
“Queixou-se da falta de visitantes, segundo a feirante poderá ter sido pelos vários eventos e festas, que decorreram em simultâneo na região durante o passado fim-de-semana”.
“Queixou-se também da falta de visitantes, segundo a expositora os turistas acabam por não passar neste local da cidade da Guarda, tornando assim mais difíceis as vendas”.
“Elogia o local bem como a organização, no entanto refere que deve haver mais divulgação por parte dos promotores, desta Feira de Antiguidades e Colecionismo”.
“A Rádio F foi à 1ª edição deste ano o novo local agradou à maioria dos expositores. Segundo os vendedores a ausência de um número maior de visitantes, poderá dever-se ao facto, da falta de uma maior de divulgação desta feira”.
A amostra não é significativa, mas mesmo assim há algumas contradições na notícia.
Sugestão para as Feiras: Com o início da pré da pré, pré-campanha eleitoral, deveriam colocar à entrada das feiras um livro de ponto para os políticos assinarem e os munícipes verificarem quem é que gosta mais da economia de rua. 

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Orçamento Participativo Nacional

No âmbito da iniciativa governamental “Orçamento Participativo de Portugal” a Guarda viu seleccionados quatro projectos para votação final. Aqui os deixo para apreciação e votação.
Projeto 98 - Margarida Ramos
A tradição do Cobertor de Papa - tecelagem
Âmbito: Regional. Área: Educação e Formação de Adultos. Zona(s) Geográfica(s): Centro
Pretende-se formar novos agentes com conhecimentos no fabrico manual do Cobertor de Papa, elemento tradicional e produto endógeno da região das Beiras e Serra da Estrela. A profissão de tecelão está em vias de extinção de forma que, é urgente, fundamental, imperativo e estratégico que estes saberes passem de geração em geração. Este produto endógeno-cobertor de papa é já utilizado no mundo da moda, tendo sido apresentado em desfile na Moda Lisboa, no Portugal Fashion e em Paris, pela mão da estilista Alexandra Moura. Além destas utilizações, ele é procurado para uso doméstico, como cobertor e chinelos, é procurado, também, pelos pastores que guardam os seus rebanhos na Serra da Estrela, protegendo-os do frio. Pretende-se, ainda, potenciar a divulgação deste produto endógeno fomentando a diversificação da sua utilização e comercialização. Projeto a implementar entre 01/01/2018 e 31/12/2018. Custo previsto: 80 mil euros.
Projeto 103 – Joana Malaca (projetos associados)
Projeto 1135 – Sara Ramos (projetos associados)
Inov'AR
https://opp.gov.pt/propostas/todas/1135-inovar
Âmbito: Regional. Área: Cultura. Zona(s) Geográfica(s): Centro
Promover o cobertor de papa, realizando desfiles, workshops, sessões que aperfeiçoem a técnica. Formar estilistas nesta área, que permitam mostrar o quão original e único este produto é e todo o seu potencial. NOTA DE ANÁLISE: Previsão de custo: cerca de 50.000 euros considerando a realização de 6 a 8 workshops, seguidos de desfile; Prazo de implementação após apresentação pública do projeto: 6 meses; Tempo de duração do projeto: 1 ano.
Projeto 368 - Nuno Filipe Costa Laginhas
Cultura lúdica tradicional - 3 eixos para o desenvolvimento económico e social
Âmbito: Regional. Área: Cultura. Zona(s) Geográfica(s): Centro
A cultura lúdica tradicional faz parte da história do Homem. Desde sempre o Homem logo, por motivos sociais, económicos ou simplesmente lúdicos. Hoje em dia, esta atividade (cultura lúdica tradicional) faz parte da identidade territorial. 3 eixos em que a cultura lúdica tradicional pode dar o seu contributo: aprendizagem, inclusão/integração social e turismo. É neste sentido que é apresentada a proposta, ou seja, a aprendizagem. Vários jogos tradicionais são uma mais-valia no desenvolvimento motor ou nos conteúdos programáticos (P.E.Matemática); Inclusão/integração social - o jogo não distingue credo, raça ou nacionalidade, não distingue a condição financeira do participante. Os jogos tradicionais poderão ser utilizados como uma ferramenta para a inclusão social; Turismo-está ligado à identidade territorial, unir as pessoas com o que de melhor tem a região e assim contribuir de forma direta para a promoção territorial. Por outro lado, seria um factor diferenciador, uma característica da região ou cidade. NOTA DE ANÁLISE: Previsão de custo: cerca de 40.000, considerando a preparação do espao, o acolhimento dos participantes, materiais e divulgação, para a realização de 2 encontros de jogos tradicionais em cada um dos 5 concelhos indicados; Prazo de implementação após apresentação pública do projeto: 6 meses Tempo de duração do projeto: 1 ano
Projeto 373 - António José Carvalho Mendes
Rota da Transumância - viagem de cultura entre a serra e a planície
Âmbito: Regional. Área: Cultura. Zona(s) Geográfica(s): Centro
Valorizar e recuperar a memória das passagens e paragens de pastores e rebanhos entre a Serra da Gardunha e a Serra da Estrela. Recriar as viagens e as rotas com passeios pedestres, experiências e eventos. A identificação das tradições e costumes, danças folclóricas, dialetos e gastronomia que viajaram pelos caminhos dos rebanhos criando uma uniformidade cultural. Nota: O orçamento do projeto será de aproximadamente de 100 mil euros O tempo de arranque do projecto será de cerca de 6 meses, após a sua apresentação pública. O tempo de concretização do projecto poderá ser de cerca de 24 meses.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Rotunda do Cemitério Novo

A rotunda do Cemitério Novo e área envolvente está num estado deplorável.
A erva está bem crescida e o resto nem se fala. Só vendo, porque pelas fotos não é suficiente.

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Jardim José de Lemos que renascimento?

O renascido Jardim José de Lemos está a ficar velho. A relva está a secar e as ruas a enlamear.
É só um alerta.
O Verão está a chegar e a este ritmo de secura a relva vai-se num instante.
E não é um problema novo na cidade.

Festa ou evento? É Evento, é Evento, pois claro!!

Segundo dizem as notícias, o mais importante que se passou na apresentação dos “Santos dos Bairros” não foi a programação. Foi um evento.
E qual foi o evento? Pois muito simples, a Câmara, na voz do Presidente e da Vereadora da Acção Social, dizem que a Câmara só tem organizado eventos e nunca organiza festas.
E segundo os dicionários consultados podemos dizer que os nossos governantes têm razão. O que têm organizado são eventos e não são festas.
São Eventos porque eventos são: acontecimentos, sucessos, êxitos, coisas inesperadas, coisas que produzem sensação.
Não são Festas porque festas não são: reuniões com regozijo, dias de comemorações, dias Santificados, alegrias, regozijos, afagos, carícias.
Então entre os dias 14 e 25 de Junho, a Guarda ficará cheia de eventos organizados pelos bairros com direito a marchas populares vindas directamente de Lisboa e de Aveiro
Vamos ter eventos dançantes e populares, talvez com sardinhas, marchas, Feira de S. João no alto da cidade e o já típico queima das bonecas, sendo o duplicado sujeito a concurso para premiar a melhor boneca. Presume-se que as bonecas que resistam ao tempo integrarão o futuro museu contemporâneo de arte popular. 

terça-feira, 6 de junho de 2017

Adjudicações directas do mês de Maio 2017

segunda-feira, 5 de junho de 2017

SIAC 2017 – 1 – A abertura

Começou o SIAC – Simpósio Internacional de Arte Contemporânea da Guarda
Além das muitas actividades programadas, temos mais de mil metros de passadeira,  com a cor magenta” e que nos leva desde o Museu até ao multibanco, passando pela Praça Velha, Torre de Menagem, Biblioteca entre outros locais.
Não começou bem, mas a culpa não foi da organização. Foi dos faltosos. Faltou o homenageado João Cutileiro por falta de saúde e o Ministro da Cultura por falta de agenda.
A vida continua e lá vamos andando. Este ano ainda ninguém se atreveu a avançar com o orçamento da festa.

domingo, 4 de junho de 2017

Artigos do RDM – Regulamento de Disciplina Militar

Forte da Graça – Elvas
O RDM - Regulamento de Disciplina Militar foi um dos melhores diplomas de toda a história da legislação portuguesa, dizem os militares de carreira.
Foi lido, relido e memorizado por milhares de combatentes em tempos de paz e em tempos de guerra. Também me coube a mim ler, reler, memorizar e ensinar este RDM. Breve história:
As primeiras leis militares podem ter começado com Rei D. Duarte. Outros se seguiram: D. Afonso V., D. Sebastião, a legislação durante a Guerra da Restauração regulamentos legados pelo Conde de Lippe, as reformas de Beresford, e muita legislação produzida no século XIX donde se destaca o primeiro Código de Justiça Militar, de 1875, e o Regulamento de Disciplina, para o Exército.
Com a I República toda a legislação militar se moderniza e é já no fim dessa mesma República que se harmonizam os regulamentos de disciplina do Exército e da Amada, de modo a criar-se um único documento que servisse ambas as Corporações.
E, assim, nasceu o RDM, em 1 de Dezembro de 1925, que tinha os seus antecedentes próximos, no Regulamento de Disciplina do Exército, promulgado em 19 de Janeiro de 1911. Desde então sofreu uma nova revisão, em 1929 e 10 adaptações entre essa data e 1965.
Em 1977, sobretudo tendo em conta a mudança constitucional havida em 1976, foi feita uma nova revisão, promulgada a 9 de Abril desse ano (Dec. Lei. 142/77.
1 –
2 – Asseado e cuidar da limpeza e conservação do fardamento, armamento, equipagem e quaisquer que lhe forem … no cargo
3 – Render da Guarda
4 – Manter na formatura uma atitude firme e correcta

sábado, 3 de junho de 2017

Munícipes civilizados

Na segunda-feira passada, chega à Praceta Madre Penha uma carrinha comercial branca. Não consegui ver a matrícula.
Sai um homem apressado. Abre as portas traseiras da carrinha e começa a despejar.
Tão depressa como chegou assim se foi, deixando o lixo do seu jardim na rua.
Isto foi no dia 29 de Maio, hoje, 3 de Junho, ainda lá está.

Educação é preciso, até porque sendo resíduos vegetais poderiam ser deixados nos pinhais circundantes da cidade.

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Uma aventura automobilística na Guarda

Sair da Capela do Bonfim, passar pelo cruzamento de Alfarazes, contornar a Rotunda do G, continuar pela VICEG, contornar a Rotunda das Piscinas, subir pelo Bairro Senhora dos Remédios e estacionar junta às Águas do Côa e Mondego e não conseguir chegar ao destino que era a Rotunda das Finanças, é obra. Poderão ser 2 ou 3 quilómetros. Pois demorei 40 minutos e não havia neve, foi numa sexta-feira cerca das 16H00 e com ciclistas na Guarda.
O que teria dado aos nossos governantes para cortar a cidade em duas e não se conseguindo transitar?
Ainda se houvesse televisão ainda poderia ter valido a pena, mas assim sem nada?
A falta de respeito pelos Munícipes foi notória, tanto mais que a informação praticamente não existiu.

A JS, os novos militantes e a tempestade que se adivinha

Três gerações de rosas rosa para um discurso sem futuro
O presidente da concelhia da Juventude Socialista da Guarda em declarações vindas na comunicação social diz coisas que parecem verdadeiramente assassinas para o partido e para os novos militantes.
Devem vir na sequência de outras afirmações contra os chamados cristãos-novos que me têm chegado. E o mais interessante quando ouvi de militantes de três partidos diferentes, qualquer coisa como isto. “Mais vale um velho militante desgastado do que vários cristãos novos agora chegados”. Isto só demonstra que os “velhos” partidos ainda têm muitos militantes esperando um bónus.
Mas o que disse o jovem presidente sobre os novos militantes inscritos até ao Verão passado?
1 – “O partido não deve depositar demasiado entusiasmo nos novos militantes”
2 – “ O empenho é para tirar a limpo em caso de derrota nas eleições”
3 – “Muitos deles integraram listas contra o PS nas autárquicas de há quatro anos”
4 – “A cidade e o concelho sabem quem são e o que fizeram”.
5 – “O partido incumbiu-os de cumprir tarefas relacionadas com a campanha eleitoral e a formação de listas”.
6 – “É desejável que essa mobilização se mantenha depois das eleições, mesmo em caso de derrota”.
7 - “E apesar da força de trabalho que o grupo pode arregimentar, o valor facial pode até ser contraproducente, tendo em conta as posições que foram tomando ao longo dos últimos tempos”.
Resumindo e concluindo: Se isto é verdade está formado o verdadeiro saco de gatos.

quinta-feira, 1 de junho de 2017

As Segundas Fases das obras de renascimento

Nas várias obras, ditas de renascimento, que estão a decorrer na Guarda continuamos a estar confrontados com as chamadas segundas fases das adjudicações.
Sabemos disso por duas vias. Pela via das reuniões do executivo onde são anunciadas essas obras e depois pelas adjudicações directas, consultáveis no Portal base do Governo.
Agora, na minha rua, para aí com 30 metros, também estou confrontado com uma obra em duas fases.
Quase há dois meses apareceu a equipa da primeira fase, abriu buracos, melhorou o escoamento das águas pluviais, tapou os buracos com o que tinha e partiu, com a indicação que um dia viria um segunda equipa para melhorar o piso.
Até agora nada. Nem aparece o anúncio da obra, nem aparece a adjudicação. Ou será mesmo que as obras vão ser feitas pelas equipas de tapa buracos que vão pululando pela cidade?