domingo, 26 de janeiro de 2020

Um provérbio para a Guarda


Dos “Santos” ao “Carnaval” na Guarda está presente a magia de Natal

sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

Iluminação LED a 12 anos


Foi publicado no Portal Base e aguarda decisão do Tribunal de Contas um projecto de eficiência energética.
PORTAL BASE - 16-01-2020 - Aquisição de serviços
Ajuste Direto; Aquisição de serviços na área da gestão da eficiência energética
Entidade adjudicatária; I-SETE - INOVACAO, SOLUCOES ECONOMICAS E TECNOLOGIAS ECOLOGICAS, SA.
Objeto do Contrato - Implementação de medidas de eficiências energética no sistema de iluminação pública (SIP) na cidade da Guarda
Data de celebração do contrato - 26-08-2019
Preço contratual - 3.272.976,93 € mais IVA
Prazo de execução - 4380 dias são 12 anos de trabalho.
O Vice-presidente da Câmara diz que o investimento é reembolsável.
Para este grande projecto, que parece bom, não foi indicada a calendarização
E há umas questões a explicar: Vai haver reembolso? Quem vai reembolsar?
Estaremos a confundir reembolso com poupanças? Como será feito o controle?


Adenda:
Assim se faz no Alentejo, com direito a televisão, e porque não se faz na CIMBSE?
Uma obra de 8 meses quase se compara com 12 anos
“Os municípios do distrito de Évora esperam poupar “um pouco mais de 70%” na iluminação pública com a substituição de 55 mil luminárias por outras com tecnologia LED, num investimento superior a 21 milhões de euros”.
“A substituição faz parte do projeto Eficiência Energética na Iluminação Pública, indicou a Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central (CIMAC), que congrega os 14 concelhos do distrito de Évora”.
“Fonte da CIMAC explicou hoje à agência Lusa que a iniciativa, no âmbito da qual já foi assinado um acordo entre os municípios do Alentejo Central e a EDP Distribuição, envolve um investimento superior a 21,2 milhões de euros”.
“As obras relativas à implementação desta iniciativa de promoção da eficiência energética na iluminação pública vão iniciar-se já “em novembro”, devendo “estar concluídas no primeiro semestre” do próximo ano”.
Metade das luminárias a instalar terão tecnologia de gestão ponto a ponto, o que permite regular a luminária de acordo com os parâmetros desejados” 

quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

Hera a comer as árvores


Na Quinta do Alarcão as heras estão a tomar conta das árvores.
O mesmo acontece com o castanheiro
Já serão árvores mortas ou estão esperando que morram para depois ter argumentos para cortar?


quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

Afinal o que lucra a Guarda com a FIT?


As declarações do Presidente da Câmara da Guarda à Rádio F e que abaixo transcrevemos, é a declaração de que ao fim de 5 anos de FIT – Feira Ibérica de Turismo, a Guarda foi incapaz de vender os seus produtos turísticos aos agentes do Douro e provavelmente ao  resto do País.
“Publicado em JANEIRO 7, 2020 9:10 por RÁDIO F”
“CARLOS CHAVES MONTEIRO, QUER COLOCAR A GUARDA NO ROTEIRO TURÍSTICO DAS OPERADORAS QUE PROMOVEM TRAVESSIAS NO RIO DOURO”
“O presidente da Câmara da Guarda diz que o Município já encetou contactos no sentido da cidade fazer parte do percurso turístico das operadoras que promovem as travessias do Douro. Muitas das ofertas desses passeios passam por visitas a Salamanca mas Carlos Chaves Monteiro quer colocar a Guarda nesse roteiro.”

terça-feira, 21 de janeiro de 2020

O Jardim Interior da Central de Camionagem


Continua abandonado o jardim interior do Centro Coordenador de Transporte.
E não se compreende
Sendo por ali que chegam e partem diariamente centenas de pessoas, e por isso a primeira sala de visitas se deixe abandonado este jardim.
E se gastam mais de 400 mil Euros em alguns jardins da cidade, não haverá umas dezenas de euros e uma flores sobrantes para requalificar o espaço?

segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

Os projectos da nossa cidade


O Presidente da Câmara elencou para a Rádio F em 20 de Janeiro, e mais uma vez, as obras para avançarem este ano.
Muito em breve, podem começar as obras na Rua do Encontro e Tenente Valadim, iniciar a requalificação das casas da praça velha bem como o processo de negociação da Casa da Mocidade e o estudo de valorização do Largo Frei Pedro e ainda vão surgir já as candidaturas para a construção do Centro de Valorização de Produtos Endógenos e vão ter inicio as obras na Avenida Afonso Costa, Avenida Alexandre Herculano e Rua Soeiro Viegas bem como espaço envolvente à capela do Mileu.
Mas parece que nada corre bem nas obras da Guarda. Vejamos o que está a ficar para tràs:
1 - Ciclovia/pedovia – Os empreiteiros querem mais dinheiro. Novo concurso para ajustar ao pedido. Ou então 1ª fase, 2ª fase, 3ª fase. A preferida de todos, menos dos munícipes
2 - Torre dos Ferreiros – O diferendo com a Cultura do Centro continua por explicar.
Multiusos – Porque não há projecto. Porque não há lugar. Porque a Europa não financia. Porque não há dinheiro. E sedo assim não há multiusos.
3 - Projecto Benfica – Era uma coisa de 3ª geração. Creche, tempos livres e centro do dia. A Câmara dava um “espação” no Parque Urbano. O Benfica queria um espaço junto à Capela do Mileu, onde existe um polidesportivo. Não há acordo
4 - Passadiços do Mondego – Tinham 360 dias para serem construídos e inaugurados a partir de 2 de Janeiro, Já passou quase um mês e nada. Já acrescentaram mais 180 dias, pelo menos
5 - A Avenida da “Ti Jaquina” – Nem projecto, nem dinheiro, nem obra e era para ser até este ano.
6 - A locomotiva – Está a ser pintada. É tinta barata e demora muito tempo a secar e o tempo não ajuda. Um dia virá e haverá festa.
7 - Largo da Misericórdia – Quando os arquitetos se lembrarem entregarão o projecto, até lá nada acontece, para bem da Guarda.
8 - O Campo do Vila Cortês do Mondego – Há esperança que vai ser inaugurado lá para Março/Abril. Mais de um ano depois.
O que vai salvar isto são das obras é a nova rotunda na avenida de S. Miguel e os projectos da Capital da Cultura.
Aina vamos chegar ao fim de 8 anos sem uma obra de vulto para inaugurar.

sábado, 18 de janeiro de 2020

Guarda Candidata a Capital Europeia da Cultura


Na quinta-feira passada foram apresentados os elementos da equipa de projeto da Candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura
Da equipa de programação coordenada por Pedro Gadanho fazem parte e assim apresentados:
O diretor executivo Pedro Gadanho assumirá a área da diáspora e relações internacionais.
Victor Afonso (coordenador do TMG e música contemporânea)
Osvaldo Ferreira (maestro, música e projetos pedagógicos)
Andreia Garcia (programadora cultural, arquitetura e propostas artísticas intermunicipais)
José Rui Martins (ator e encenador, teatro e artes performativas)
Jorge Maximino (investigador, literatura, pensamento e edição)
João Mendes Rosa (diretor do museu local, história, património e artes visuais)
Carla Morgado (município da Guarda associativismo e território)
Thierry Santos (município da Guarda e projetos educativos)
Catarina Raposo (arquiteta, iniciativas culturais e ecológicas)
Tiago Sami Pereira (músico, inovação e mediação cultural e expressões populares)
Lara Seixo Rodrigues (especialista em arte urbana, inovação urbana e cultural).
Notas à margem:
1 – Gostaria que a Comunicação Social, que tem acesso a muitos documentos fizesse uma análise detalhada do projecto, do orçamento e dos ganhos de cada um dos intervenientes.
2 – Qual a contribuição monetária dos 17 municípios envolvidos
3 – Pela quantidade de programadores envolvidos, a candidatura vai ser só festas ou vai incluir uma nova equipa para a regeneração do centro histórico?
4 – Como vai o coordenador do projecto desdobrar-se entre os Estados Unidos e Portugal?
Lusa - 02 Julho 2019
 “De acordo com o sítio 'online' da Loeb Fellowship, Pedro Gadanho está entre nove bolseiros de várias nacionalidades que irão desenvolver um trabalho de pesquisa e discussão na Graduate School of Design daquela universidade, nas áreas do design, sustentabilidade, transportes, artes e cultura”.
“Estes investigadores de várias nacionalidades irão passar um ano e explorar e discutir temas como equidade no urbanismo, artes, resiliência do clima, e políticas de transportes”
5  Uma curiosidade vinda de Coimbra:
DN/Lusa - 05 Junho 2018
“Luís de Matos vai coordenar a candidatura de Coimbra a Capital Europeia de Cultura 2027 anunciou nesta terça-feira o município. A equipa que o mágico coordenará é constituída pelo médico e presidente do PSD Coimbra, Nuno Freitas, pelo deputado municipal da CDU e antigo diretor do Conservatório, Manuel Rocha, pelo vice-reitor da Universidade de Coimbra (UC) para a área do turismo, Luís Menezes, pelo presidente da distrital do PSD de Leiria, Rui Rocha, pelo antigo diretor regional da Cultura do Centro, António Pedro Pita, e pela antiga vice-reitora da UC Cristina Robalo Cordeiro”.
Perguntado quanto ia ganhar “Luís de Matos respondeu de imediato que “tanto quanto sei será equiparada a um director municipal”.
“Consultando o contrato efectuado entre o Município de Coimbra e Luís de Matos constamos que o mágico vai receber 6.150,00 euros por mês”.