quarta-feira, 19 de setembro de 2018

PEpC – Pagamento Especial por Conta


Onde foi dia de PEpC
Foram pagos 4 anos e 10 meses de dívidas em atraso.
Agora está quase tudo pago.
Mensagem em actualização

Coletes obreiros


Por que será que os políticos, acompanhantes e jornalistas quando visitam obras vestem aqueles coletes ridículos?
1 – É para não sujar a roupa
2 – É por causa dos piropos
3 – É um colete anti bala
4 – É para serem vistos ao longe
5 – É porque se esqueceram do triângulo
6 – É porque o inventor dos coletes amarelos tem contrato de fornecimento
7 – É porque os políticos se pelam para aparecerem na televisão vestidos com os muitos coletes que inventaram para políticos mostrarem.
8 – É porque tornam os políticos mais fotogénicos
9 – É porque assim não se vê o sorriso amarelo de frete por estas sessões enfadonhas
10 – Porque será que o povo em geral não tem direito a bilhete para vestir o colete amarelo?

terça-feira, 18 de setembro de 2018

Actas e Editais


Se as actas e os editais com o que se passa nas reuniões do executivo camarário não são publicados na página oficial, onde é que os munícipes podem consultar isto?
Por vezes ainda aparecem uns editais em placardes da cidade e não sei qual o critério, por nem sempre aparece.
É ou não de lei a publicação on-line destes documentos?
PS - Já agora, também a Assembleia Municipal não está em dia.

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

CIMBSE? O que é isso?


1 - Álvaro Amaro
As Brigadas de Sapadores Florestais que foram aprovadas no âmbito da CIM Beiras e Serra da Estrela, mereceram algumas considerações críticas por parte de Álvaro Amaro, na última reunião do executivo. Em causa estão três equipas que passam a ser geridas pela Comunidade das Beiras e Serra da Estrela e nenhuma delas fica localizada no concelho da Guarda.
O autarca da Guarda considera que a gestão destas 3 brigadas, em toda a região CIM é inexequível e critica o facto de os municípios não poderem candidatar-se diretamente à criação destas brigadas florestais.
O autarca quer que se criem mais Brigadas de Sapadores Florestais no concelho.
2 – Eduardo Brito
A câmara da Guarda neste assunto podia ir mais longe, com a celebração de mais protocolos com as várias associações que existem no concelho, para isso, basta haver vontade politica.
Na atribuição de competências, partilha da mesma opinião de Álvaro Amaro, os municípios deveriam poder candidata-se diretamente à criação destas brigadas.
Ainda assim, o socialista entende que a câmara da Guarda, deveria disponibilizar mais dinheiro do orçamento do município, para suportar mais equipas de sapadores florestais no concelho.
Será isto a descentralização negociada? E então para que serve a CIMBSE?

sábado, 15 de setembro de 2018

Como está o Hotel Turismo?

O Presidente da Câmara da Guarda que disse e continua a dizer que trabalhou muito para que fosse encontrada uma solução.
Há dias foi questionado sobre a situação e respondeu que não sabia, que estava atento e que esperava até ao fim do ano para tomar decisões, até porque havia compromissos para as obras.
Uns dias depois a Rádio Altitude interessou-se pelo assunto e escreveu:
“Hotel de Turismo «está em fase de projecto». IPG nada sabe sobre função formativa”
“O fututo Hotel de Turismo da Guarda está em fase de projecto (a cargo de uma equipa de que faz parte o arquitecto da Guarda, António Saraiva) ”.
“É a explicação da secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, em resposta à pergunta da Rádio, na passada sexta-feira. Se vai ter vertente de ensino e formação é algo que ficará a saber-se quando o programa funcional for apresentado”.
“Por agora, tal não é sequer do conhecimento do Instituto Politécnico da Guarda, cujo presidente, Constantino Rei, confirma não ter sido contactado para qualquer género de colaboração no projecto”.
Afinal aquilo está a mover-se e o Presidente não sabe nada. Vamos ter número um dia destes

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Monumento a quem? Aos mortos ou aos vivos?


Foto: Jornal Terras da Beira
Felizmente que as entidades que se deslocam à Guarda para inaugurar o Monumento não conheceramm a Guerra Colonial.
Domingo, 13 de março de 2011, escreveu-se neste Blogue:
Dizem “Descolonizar” e não dizem “Desultramarinizar”
Um Presidente que diz Guerra de África para não dizer Guerra Colonial ou Guerra no Ultramar
Jornalistas dizem na mesma reportagem: Guerra Ultramarina, Guerra Colonial, Guerra do Ultramar, Combatentes da Guerra Colonial e Combatentes do Ultramar
Um comentador que diz de seguida Guerra Colonial e Combatentes do Ultramar, não pensa no que diz.
Dizem que era assim que se dizia, Guerra do Ultramar, mas também se dizia na clandestinidade Guerra Colonial
Pelos vistos é tudo igual: Descolonização, Guerra Colonial, Guerra do Ultramar, Guerra em África, Combatente Colonial, Combatente Ultramarino, vale tudo, tudo tem o mesmo significado, mas não tem.
Ninguém tem medo das palavras, há o politicamente correcto na maneira como se dizem e onde se dizem.
50 Anos depois é preciso assumir o que se diz e o que se faz.
Ninguém está contra ninguém.
Consequências da Guerra Colonial aos Jovens Portugueses:
Quase 9 mil mortos
Cerca de 100 mil feridos ou incapacitados
Quase 20 mil com deficiências físicas
Mais de 140 mil com problemas psicológicos
Mais de 150 mil desertores e refractários
Em 1974 foram mobilizados 150 mil efectivos militares para o esforço de guerra em África
A guerra sorveu entre 7 a 10% da população portuguesa e mais de 90% da juventude masculina.
Actualmente ainda há milhares de ex-combatentes a viver em situação miserável, doentes e sem dinheiro. O Stress de Guerra é uma realidade, não é a brincar. Há milhares a sofrer, e fazem-se monumentos.
O subsídio Portas varia entre 75 e 150 Euros, por ano, dependente dos meses que estiveram em zona de guerra.
Recordo que eu fiquei sem 37 me4ses da minha juventude e da minha carreira.
Felizmente que quem vem inaugurar o Monumento não conheceu a Guerra Colonial.

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Nelas vai ter uma fábrica de óleo de cannabis


A Endopure vai investir cinco milhões de euros e criar 21 postos de trabalho
 A Câmara Municipal de Nelas assinou um protocolo com a Endopure que determina a cedência, por parte da autarquia, de um lote de terreno de cinco mil metros quadrados na zona industrial deste concelho, onde a empresa pretende investir cinco milhões de euros na abertura de "uma sofisticada unidade industrial de produção de óleo CBD (cannabidiol), produto extraído da planta cannabis sativa, para efeitos medicinais e comercialização da indústria farmacêutica", detalha o município, em comunicado.
De acordo com a mesma fonte, a Endopure compromete-se a criar 21 postos de trabalho. O pavilhão industrial terá uma área de cerca de dois mil metros quadrados, sendo que "este investimento, dinamizado por promotores internacionais com grande experiência na área, acaba de ser aprovado no âmbito do Compete", quadro de incentivos comunitários do programa Portugal 2020.
A autarquia de Nelas refere ainda, no mesmo comunicado, que a produção da Endopure destinar-se-á essencialmente à exportação para os Estados Unidos, Brasil, México, Reino Unido e França, prevendo gerar, em 2022, um volume de negócios superior a cinco milhões de euros. 

terça-feira, 11 de setembro de 2018

O Meu Reino por um cavalo., melhor, a minha junta por um Campo de Futebol sintético


Da página oficial da Câmara:
“Foi assinado o contrato e auto de consignação da Obra de Modernização de Infraestruturas do Campo de Futebol de Vila Cortês do Mondego”.
“O Concelho da Guarda e em especial o Vale do Mondego passam a ter disponível, com a realização desta obra, um Campo Sintético para a prática de Futebol”.
“A sessão decorreu no Campo de Jogos de Vila Cortês do Mondego na tarde de sexta-feira, dia 7 de setembro”.
“O valor da obra rondará os 130 mil euros e tem um prazo de execução de 150 dias”.

Dia de Portugal na feira agropecuária de Salamanca


Foto da página oficial da feira
Da página oficial da Câmara Municipal da Guarda
“DIA DE PORTUGAL NA SALAMAQ' 18”
“A vereadora, da Acção Social, Juventude, Educação, Lucília Monteiro em representação do Município da Guarda, na Salamaq 2018, o mais importante certame do setor agropecuário de Castilla y Léon”
“Hoje, dia 7, é o Dia de Portugal na Salamaq’18”
“A feira decorre entre 5 e 9 de setembro, no recinto de feiras de Salamanca, Espanha”.