sexta-feira, 6 de março de 2015

Edifício Quelhas


Rotunda do Parque Industrial

Rotunda do Parque Industrial na VICEG - Via de Cintura Interna da Guarda

quinta-feira, 5 de março de 2015

O que foi escrito “on-line” sobre a “zanga” Assembleia Municipal da Guarda

O que disseram “on-line” os órgãos de Comunicação Social da Guarda sobre o corte da palavra aos Presidente da Câmara e Deputados Municipais. (Nota: Não me lembro de alguma vez ter acontecido isto na Assembleia Municipal da Guarda” 
Rádio Altitude
“Carvalho Rodrigues: sessão da Assembleia Municipal não é uma conversa de café”
“Conhecido como o pai do primeiro satélite português, o físico Fernando Carvalho Rodrigues, que preside à Assembleia Municipal da Guarda, vê-se por vezes forçado a agarrar à terra os membros deste órgão. Na última sessão, sexta-feira passada, chegou mesmo a perder a paciência e a ameaçar que abandonaria o lugar. Os alvos foram deputados de várias bancadas e o próprio presidente da Câmara. A Assembleia não é local para «uma conversa de café», lembrou”.
Rádio F
“O Presidente da Mesa da Assembleia Municipal da Guarda, Carvalho Rodrigues, mandou calar várias vezes o Presidente da Câmara, durante a intervenção que fez, tendo em conta que estava a exceder o tempo que lhe era atribuído. Carvalho Rodrigues chegou mesmo a dizer, que não admitia que quisessem transformar a assembleia, numa conversa de café e mostrou-se zangado, sobretudo com Álvaro Amaro, que ouviu da bancada socialista várias críticas”.
“Álvaro Amaro foi interrompido pelo Presidente da Assembleia, uma vez que já estava a exceder o tempo de intervenção. Carvalho Rodrigues disse que não estava interessado em ouvir os esclarecimentos de Amaro, até porque o único objectivo era apenas cumprir o regulamento”.
“O Presidente da Câmara tentou dar os devidos esclarecimentos aos deputados, mas voltou a ser interrompido pelo Presidente da Mesa que o mandou calar, uma vez que o autarca estava a ultrapassar o tempo que lhe foi atribuído, para intervir na Assembleia Municipal”.
Jornal Terras da Beira
“A Assembleia Municipal da Guarda ficou marcada pela crispação entre o Presidente da Câmara, e o presidente da Mesa da Assembleia Municipal, ambos social-democratas. Tudo aconteceu na passada Sexta-feira, durante a reunião daquele órgão fiscalizador da actividade municipal, quando o autarca começou a exceder, em demasia, o tempo previsto para a sua intervenção no período antes da ordem do dia. O presidente da Mesa mandou, por diversas vezes, o autarca terminar a intervenção mas este insistia em prosseguir, nem que para isso fosse necessário descontar no tempo que lhe restava para o período da ordem do dia”.
O regimento estabelece 31 minutos para a intervenção da Câmara naquela parte da sessão, mas Álvaro Amaro ultrapassou esse tempo, levando a que o presidente da Mesa da Assembleia advertisse que era «rigorosamente a última vez» que admitia que o número de minutos alocado a cada grupo parlamentar e à Câmara durante o período antes da ordem do dia fossem excedidos como estavam a ser”. «Neste momento vai com 49 minutos [mais 18 do que o que estava previsto no regimento] e a Assembleia com pouco mais de 51», informou Fernando Carvalho Rodrigues”.
“A troca de argumentos entre o autarca e os deputados do PS manteve-se, tendo, pouco tempo, o presidente da Mesa advertido que não admitia que transformassem aquela reunião numa «conversa de café». Fernando Carvalho Rodrigues foi mais longe ao ameaçar que se ia embora caso a situação se mantivesse. «Isto é uma Assembleia que está a decorrer de uma forma que os senhores, que são profissionais desta coisa, deviam ter vergonha».

quarta-feira, 4 de março de 2015

Aguarelas de Mário Carvalho

O Aguarelista da Guarda Professor Mário Carvalho, que apresenta nos seus trabalhos o Património e as coisas da Guarda, editou uma belíssima colecção de calendários de bolso, reproduzindo algumas das suas aguarelas.
Parabéns pelo trabalho e pela oferta que me fez.

Mudam-se os tempos…

Sobre o “desconcerto do mundo”, Nestes tempos de mudança, de trocas e baldrocas, de tira e veste camisa, de ata e desata, lembro um soneto de Luís Vaz de Camões, “Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades”.

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já coberto foi de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto:
Que não se muda já como soía.

terça-feira, 3 de março de 2015

Reabertura do Mercado Municipal

As obras de requalificação do Mercado Municipal da Guarda estão acabadas e a reabertura oficial está marcada para sábado 14 de Março.
Vai ser uma reabertura com grande pompa e para causar impacto na população o mercado vai encerrar durante uma semana, mesmo que os comerciantes sejam penalizados.
Muita música, com banda e rancho. Comes e bebes.
Estão todos convidados.

Secretário de Estado da Cultura esteve na Guarda

O Secretário de Estado da Cultura andou aqui pela Guarda, não admira, Barreto Xavier é de cá.
O que também não admira é que venha em funções partidárias PSD/CDS jantar/reunir com os militantes daqueles Partidos e que estão quase a coligar-se para as próximas eleições legislativas.
Também não admira que ele venha a ser o cabeça de lista da futura coligação, como já vem sendo dito por alguma comunicação social.
Não me admiraria muito se nesta reunião, ou noutra, também se falasse no Museu da Guarda e da sua passagem para a posse da Câmara e ainda uma reestruturação do CEI e dos novos objectivos.
Também não me admira que o problema de saúde do actual Deputado à Assembleia da República e que é cabeça de lista pelo Distrito, fosse apenas circunstancial, para não ter que se enfrentar o o possível rival.
É para ir seguindo.

segunda-feira, 2 de março de 2015

Zangas de Presidentes

Ainda não abordei a “zanga” entre o Presidente da Assembleia Municipal e o Presidente da Câmara da Guarda, porque aguardo que a Comunicação Social da Guarda o faça primeiro.
Durante a última Assembleia Municipal, o Presidente desta, cortou várias vezes a palavra ao Presidente da Câmara. O Presidente da Assembleia acabou por abandonar a sala, sem explicações, o Presidente que se seguiu, manteve o procedimento do anterior e também cortou a palavra.
É o Regimento, dizem..

Linha da Beira Baixa: Ponte do Corge

Foto: Ponte de Coge, página oficial da REFER
“A REFER anunciou o lançamento do concurso público para a construção da nova Ponte do Corge, da Linha da Beira Baixa”.
“O preço base do concurso é de 2,5 milhões de euros e o prazo de execução da empreitada de 360 dias de calendário a partir da data de consignação, prevendo-se que a obra se inicie no final de 2015”.
“A nova ponte deverá localizar-se exactamente no mesmo local da existente. ” Visa a substituição da ponte metálica construída em 1891, e cuja estrutura se encontra em avançado estado de degradação e sem viabilidade de recuperação, implicando consequentemente a sua demolição e desmantelamento, referiu a empresa”.
É uma boa nova para a ferrovia portuguesa e para o Interior mas pode não passar de um anúncio pré eleitoral. No final do Cavaquismo também Cavaco lançou um concurso público para a construção da A14, actual A25.
Nisto tudo e segundo diversas fontes, a obra poderá arrancar em 2015 ou 2016, poderá estar aberta em 2019. Se considerarmos o prazo de execução 360 dias, cerca de 1 ano e 7 meses, portanto ano de 2017, isto é incongruente.
Veremos os próximos capítulos.

domingo, 1 de março de 2015

Turismo do Centro: Um "Período Horrível"

Retirado da página Oficial
O ano de 2014 e o que levamos já de 2015 pode ser considerado o “Período mais Horrível” para a Sub-região da Serra da Estrela e também para TC-Turismo do Centro, que faz a gestão de todas as regiões de turismo do centro do País.
O Turismo do Centro foi criado por DL e nele foram integradas as sub-regiões de Castelo Branco, Coimbra, Leiria/Fátima/Tomar, Oeste, Ria de Aveiro, Serra da Estrela e Viseu/Dão/Lafões.
Depois da festa das inaugurações dos “Welcome Center” a Serra da Estrela e as outras sub-regiões também ficaram à deriva.
A guerra da localização da sede: Coimbra/ Aveiro, ganhou Aveiro
A Página na Internet da Serra da Estrela, não serve os turistas e durante mais de um ano ficou sem informação.
A coordenação do Turismo do Centro, não se tem visto e culminou na Feira de Turismo de Lisboa, que foi um “salve-se quem puder”, em que além do stand da TC, algumas das diversas regiões colocaram stands próprios e houve mesmo municípios que também colocaram standes independentes. (Só para dar um exemplo, a maior região de turismo que é Lisboa e a sua área metropolitana, aliaram-se e apresentaram um único pavilhão).
Para culminar, depois de terem admitido funcionários para os “Welcome Center”, anunciaram o despedimento de 26 funcionários efectivos, não se sabendo o que acontecerá aos contratados a prazo e aos emprestados.

Sacos de plásticos e sacos de papel

Carvalhos Americanos
O Ministro Moreira da Silva, o dos impostos verdes e dos sacos de plástico, elogiou o comportamento dos portugueses por deixarem de pagar sacos de plástico a 2 cêntimos e não quererem desembolsa 10 cêntimos, que é o novo preço do saco de plástico, com asas.
Pode até ser uma boa medida, que a mim não me afectou, porque já usada sacos reutilizáveis.
Agora quem pode não estar muito contente é a floresta portuguesa, porque apareceram em força os embrulhos e os de papel.
Nesta troca não sei quem vai ganhar, se o ambiente se a indústria do papel.

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Edifício Canotilho


Informação: Violação, fuga ou transmissão

Rádio Transmissor AN/GRC-9, instrumento de informação e glória militar. Blog: História das transmissões militares
Fuga:
Fugida; evasão; derramamento; orifício; Buraco por onde o fole  toma ar; Género de música em que as partes se repetem sucessivamente e parecem fugir umas das outras.
Violação:
Abrir sem pedir autorização; Forçar a abertura; Entrar ilegalmente; Tornar público sem permissão.
Transmissão (transmitir):
Fazer chegar a; servir de transmissor a; fazer passar de um lugar a outro; expedir; enviar; expedir; enviar; participar; comunicar por contágio.
Continua a discutir-se a violação do segredo de justiça, que passou a chamar-se fugas de informação e que agora é chamada de transmissão da informação.
Esta última designação parece-me a mais correcta.
A informação não foge, não tem pernas, nem boca.
A violação não existe porque quem viola não precisa de autorização nem o faz ilegalmente é consciente.
Transmitir é o que se passa. Quem detém a informação transmite-a, dada, emprestada, vendida, alugada, não sabemos, mas sabemos quem a difunde depois de recepcionada.
As consequências têm sido desastrosas para a Justiça Portuguesa.