sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Janelos - Central da Camionagem

O Centro Coordenador de transportes tem uns janelos por onde luz para gabinetes e arrecadações.
Na semana passada os janelos foram tapados com bonitas fotografias da Guarda.
Sabe-se que isto se insere na política de poupança energética pois as fotografias, bonitas que são, têm luz própria e iluminam as salas e arrecadações.
Experimentem em casa e verão a poupança que obtêm com esta solução. 

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

O Sonho de um Presidente

Foto: Câmara Municipal da Guarda na Feira Farta

terça-feira, 27 de setembro de 2016

A Estória da requalificação do Cristal

Era uma vez um Cristal, colocado no Centro Coordenador de Transporte, que passava os dias muito triste por não brilhar, como era suposto brilhar um cristal.
Então, passado um ano de tristeza, foi finalmente marcada a hora dos trabalhos de dar luz ao Cristal.
Pessoas e pessoas, gruas e camionetas, durante uma semana deram o seu melhor para tornar possível o brilho do Cristal, também para dar brilho à feira.
Agora aí está. Limpo e brilhante o lindo Cristal da Guarda
E até já dizem, se tivesse ponteiros seria um lindo relógio, comprado na casa china, indispensável para os passageiros que diariamente utilizam a gare.
Só sabem dizer mal, do meu brilho de cristal.

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

O Muro depois da festa

Que as festas deixem sempre mazelas não é nenhum mal e não é por isso que o mundo acaba.
Pode acabar quando despois das festas as mazelas não são reparadas e a mazela vai avançando.
Este exemplo do muro que circunda a Capela do Mileu é prova disso.
As pedras estarem por lá até é um milagre, pedras boas dão sempre jeito em casa.

sábado, 24 de setembro de 2016

O “Sol da Guarda” na Tenda Forte da Feira Farta

O “Sol da Guarda” também tem uma barraquinha na Tenda Forte da Feira Farta.
Vende e dá coisas, não fia.
Vende Ilusões e dá Rotundas, a pronto.
Vende a ilusão do Desenvolvimento, a ilusão do Emprego, a ilusão do Ambiente, a ilusão da Cultura, a ilusão do Turismo e do Hotel.
Não vendo ilusões por encomenda, vendo-as por convicção, digo.
Dou Rotundas não a quem mas pede, mas a quem as merece e assim vou dar:
Ao Presidente sem Pelouros dou a Rotunda do Cubo Mágico
Ao Vereador das Finanças dou a Rotunda da Mão
Ao Vereador Acção Social dou a Rotunda do Anjo
Ao Vereador do Saneamento dou a Rotunda da Luz
Ao Vereador da Cultura dou a Rotunda da Ti Jaquina
E não dou mais porque não há mais, para o ano volto porque vão aparecer umas quantas mais.

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Debate sobre os projectos em curso na Guarda

Um grupo de cidadão vai promover um debate sobre os projectos que a Câmara tem para alguns pontos da cidade.
Quando a Câmara anunciou a “Guarda Renasce” disse que iria apresentar uns quantos projectos para locais emblemáticos da cidade: Rua do Comércio, Largo da Misericórdia, Tore dos Ferreiros, Jardim José de Lemos, Parque da Cidade, entre outros.
Nessa apresentação foram apresentados uns bonecos e não projectos, não tendo havido discussão, nem entrega de documentação aos jornalistas.
Agora um grupo de cidadão vai tentar relançar o debate sobre alguns destes projectos.
A sessão vai realizar-se na próxima terça-feira, 27 de Setembro, pelas 17H30, no Paço da Cultura.
O grupo convidou para tal o arquitecto Henrique Schreck e o professor da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Luís Martins.
 Alguns temas:
No parque dizem querer «ficar com todas as árvores» e são contra o pavimento previsto no prtojecto.
«A betonilha seria muito dura para quem vai ao parque correr e emanaria mais calor nos verões já de si demasiado quentes», além do risco de «impermeabilizar os solos». Exigem, por isso, «saibro nos pavimentos, uma opção drenante e ecológica».
Em relação ao Jardim José de Lemos questionam que se retire «o buxo em redor do jardim», que se use também betonilha nos caminhos, que se troque «pedra antiga do lancil dos canteiros por metal» e que se subsituam os bancos.
Também colocam dúvidas quanto às intervenções no largo da Igreja da Misericórdia e na Rua do Comércio.
«Algumas intervenções pretendidas pela Câmara Municipal da Guarda levantam questões que queremos ver repensadas pelas autoridades camarárias».

Conferência da Treta

Presidente da Câmara Municipal da Guarda, deu uma conferência para rebater a providência cautelar para evitar o abate de árvores no Parque Municipal. Algumas joias do seu discurso
A providência cautelar e seus proponentes:
 “Conversa da treta”
"Uma rasteira à Guarda”
“O país está a rir-se disto”
"O protesto é político e não vai reavaliar nada".
«Motivações políticas»
“Intenções que vão para além da contestação ao corte de árvores”.
“Desafia os treze cidadãos subscritores a reformularem o pedido concentrando-se apenas na salvaguarda das árvores (que diz serem «vinte e três em mil e noventa e oito»)
“Não irá estar presente no debate promovido pelo mesmo grupo de cidadãos, no auditório que a própria autarquia lhes cedeu para o efeito no Paço da Cultura”
“Eu não debato com pessoas que não jogam jogo limpo”
“Os projectos tiveram uma sessão de apresentação pública”,
“Vão fazer um debate depois de terem posto a Câmara da Guarda em tribunal”
“Deixem a Guarda em paz e batam em mim»
«É de política que estamos a falar. Não vale a pena ninguém abrigar-se em nome da defesa das árvores».
“Acrescentou que vai incentivar os autores do projecto a discutirem com os técnicos da Quercus o número de árvores que vão ser abatidas”.
“Apresentámos o projeto de requalificação, foram dados todos os esclarecimentos solicitados numa sessão pública, mas ninguém fez nada».
«Como há debate propiciamos que haja forças de bloqueio».
“Verdadeiramente preocupadas com 23 árvores em 1.098, repito, algumas delas podres da raiz até à copa, a providência cautelar era por causa das árvores, mas não, a providência cautelar foi da obra".

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

A Tenda Forte a Guarda Vos

A Tenda Forte para a Feira Farta está quase montada
100 mil Euros de Tenda Aguarda por Si e por Vós Guardenses.
A Guarda por si, aguarda por si