quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Caminho de Santiago no Concelho da Guarda

No “Dia da Cidade” foi aberto o caminho que supostamente os peregrinos devotos de Santiago percorriam pelo interior do País, vindos do Sul, até chegar a Santiago de Compostela, onde repousam os restos mortais do S. Tiago.
O Caminho de Santiago no Concelho da Guarda, para quem vem do Sul, começa no limite do Concelho de Belmonte, seguindo para Valhelas, Famalicão, Fernão Joanes, Meios, Trinta, Corujeira, Maçainhas, Guarda, Ramalhosa, Aldeia Viçosa, seguindo para o Concelho de Celorico da Beira.
A inauguração teve direito a cajado, vieira, botelha, passaporte e ademais adereços, além dos promotores da iniciativa, Câmara e Museu da Guarda, também, marcou presença o Ministro do Ambiente. Quem me pareceu que não marcou presença, foi a Diocese, pelo menos nas fotografias postas à disposição, não reconheci ninguém.
Da validade ou não da iniciativa, não me cabe a mim avaliar, mas parece-me pouco lógico que após a inauguração não haja documentação eletrónicas disponível nos sítios oficiais da Câmara e Museu Também se esgotaram na inauguração os documentos em papel.
Louvo a rapidez com que alteraram a posição de uma indicação do caminho, o que levava a que os peregrinos se perdessem logo a seguir à oficina do peregrino.

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

A protecção dos Ecopontos na Rua Capitão Pessoa

No ecoponto da Rua Capitão Pessoa alguém mandou colocar uns ferros espetados no chão, unidos por uma fita de plástico vermelha e branca.
Não apresentam em explicações.
Será que aquilo está a bater? Será para proteger o ecoponto dos carros que por vezes ali estacionam? Será para que os Munícipes não coloquem o lixo naqueles ecopontos?
Mistério. Por quanto tempo ficarão as fitas e os ferros, aparentemente sem utilidade? 

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

O estranho caso das condecorações de personalidades no Dia da Cidade

Independentemente dos méritos ou deméritos dos condecorados no Dia da Cidade, aconteceram uns desencontros, a que ninguém deu importância.
Com base nas notícias publicadas na comunicação social, referente às condecorações de personalidades na cerimónia solene do Dia da Cidade, podemos escrever:
1 – Em reunião do Executivo Camarário foram aprovadas por unanimidade as dez personalidades a condecorar no Dia da Cidade
2 – Toda ou quase toda a Comunicação Social da Guarda fez referência aos agraciados publicando os seus nomes.
3 – Na sessão solene os agraciados foram chamados pelos nomes , uns presentes, outros que se fizeram representar e outros ausentes.
4 – Na lista de chamada e publicada na Comunicação social faltava uma personalidade que tinha sido proposta e aprovada por unanimidade para receber a condecoração
5 – Na lista de chamada e publicada na Comunicação social constava um nome que não constava da lista aprovada por unanimidade em reunião do Executivo.
Se o que está escrito é verdade, pergunta-se:
1 – Em que reunião do Executivo foi aprovada a nova lista, retirando uma personalidade e colocando outra?
2 – Por que razão a Comunicação social não deu importância a esta alteração?
3 – A pessoa que foi substituída, José Neves, actor do Teatro Nacional D. Maria II teria recusado a condecoração e por isso fio substituído por outra personalidade?
4 – Será que a lista aprovada tinha condecorados efectivos e condecorados suplentes?
5 – É estranho que a Comunicação Social não se tivesse interessado pelo caso para saber o que se passou.

domingo, 4 de dezembro de 2016

Carta de um médico da Guarda a D. Sancho I

Um médico da Guarda, escreveu uma “carta a D. Sancho I” e publicada no jornal “O Interior”.
(Sobre a localização da estátua do Rei, diz a determinado passo: “Se de vizinhança e local estamos conversados, de visitas (imperiosidades urinárias), não devemos falar. Isto tem que mudar! Como alternativa não aceites cantos ou pracetas nem sequer rotundas. Só é digno de fundador uma praça central, e com nome próprio”.
(E sobre um Simpósio que andou a espalhar estatuetas pela cidade, escreve): “Assistimos ao 1º Simpósio Internacional de Arte Contemporânea. Dezenas de artistas a troco de pouco, disponibilizaram o seu empenho e criatividade. Ficou arte de que todos usufruímos graciosamente. A cidade e a comunicação social, parafraseando Fernando Pessoa, primeiro estranhou, depois (que remédio), entranhou. Eu, por mim, conto os dias para o 2º!”
Ora, sendo o médico também Delegado de Saúde, e que tem poderes para encerrado o “urinol D. Sancho” por ser claramente um atentado à saúde pública dos habitantes da cidade e ainda não o fez por falta de meios.
Ora, o Simpósio, ao espalhar pela cidade meia dúzia de estatuetas, veio disseminar o problema urinário por vários locais da cidade, resolvendo o problema dos guardenses, quando estão à rasca.
É claro que esta situação cria mais um problema ao Delegado de Saúde que assim vê proliferar os focos de insalubridade e continuará a não ter meios para resolver a situação.
E então se houver um segundo simpósio temos “pandemia urinária” ao nível da cidade.
Nota fora do contexto mas dentro do texto: Ao dizer que vieram “Dezenas de artistas a troco de pouco”, não diz quanto é o pouco, aceitando como bom o número avançado pela Câmara. Se tiver um pouco de tempo disponível some as despesas de alojamento, comida, transportes dessas dezenas de artistas e mais materiais e outros (quanto custa 1 metro cúbico de mármore?) e verá que o dinheiro não chega.
E mais uma nota à margem e que é regra: Quando os da Guarda vão a Espanha pagam os Guarda e quando os de Espanha vêm a Portugal pagam os da Guarda. Regras da boa vizinhança.

sábado, 3 de dezembro de 2016

A fábrica TESLA em Portugal?

Planta da Renault/Delphi
Anda no ar a possibilidade de Portugal ser escolhido para a instalação da fábrica de automóveis eléctricos TESLA e também baterias de iões de lítio.
“Por cá, pela Guarda, Álvaro Amaro já assumiu que também está na corrida, mas «com os pés bem assentes no chão». No final da reunião do executivo, o presidente da Câmara sublinha que a Guarda tem «condições e bons argumentos» para acolher esse investimento da Tesla: «Temos um “cluster” importante na indústria automóvel no concelho, infraestruturas fabris, recursos humanos qualificados, a proximidade com Espanha e um argumento maior, o de termos uma das maiores jazidas de lítio da Península Ibérica, o que é importante para Tesla»,”
Alguns números para mostrar a dimensão disto:
Sobre a TESLA
Em Sparks, no estado norte-americano do Nevada, onde foi instalada a primeira Gigafactory, foram investidos mais de 5.000 milhões de dólares com a previsão de criar 6.500 postos de trabalho directos e 11 mil indirectos, avança a imprensa americana. Números impressionantes, mas que deverão adquirir ainda maior expressividade no caso da Gigafactory 2, já que esta unidade industrial não irá produzir apenas baterias de iões de lítio, mas também os modelos da marca.
Sobre a AUTOEUROPA
Áreas em metros quadrados
Área de produção: 1 milhão e 100 mil. Parque industrial: 900 mil. Área total: 2 milhões
Inauguração    26 de Abril de 1995
Investimento inicial (em milhões de EUR)
Implementação da fábrica: 1 282. Desenvolvimento do produto: 479, Formação e lançamento: 209. Total: 1 970. Actualmente tem 3600 trabalhadores directos e tem capacidade instalada de 250 automóveis por dia e por turno.
Sobre a RENAULT/DELPHI
A área total da Renault/Delphi era de 50 mil metros quadrados
A Renault teve um máximo de 500 trabalhadores para produzirem 45 carros dia e a Delphi teve um pico de dois ou três meses com 2800 trabalhadores, recrutados em todo o distrito.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Adjudicações directas do mês de Novembro 2016

Factos mas relevantes das adjudicações diretas do mês de Novembro de 2016
1 - Aquisição de serviços para o espetáculo de videomapping do evento, 67.500,00 €, Ocubo Criativo - Actividades Artisticas e Literarias, Ld
2 - Concessão do Direito de Exploração para Fins Publicitários de Espaços...       135.000,00 €, RED Portuguesa-Publicidade Exterior, Ld. Quando se consulta este contrato somos remetidos para o contrato de prestação de serviços de Design, abaixo
3 - Prestação de Serviços na Área do Design de Comunicação, 8.304,00, João Carlos Martins Pires      
4 - Aquisição de serviços para a "Requalificação Urbana do Eixo Central, 149.900,00 €, Barbosa & Guimarães, Lda. As obras já estão a decorrer mas só agora aparece o contrato dos projectos.
5 - Aquisição de serviços para o espetáculo dos GNR no TMG, 10.500,00 €, Nova Ação Agenciamento Gestão de Carreiras e Produção de Eventos Unipessoal, Ldª
6 - Aquisição de serviços para o espetáculo de rua "Anjo, 6.250,00 €, Animationspirit II Events, Ldª
7 - Organização da Meia Maratona da Guarda "Corrida mais alta, 74.950,00 €, Paulo Costa - Organização de Eventos e Animação Turismo, Unipessoal, Ldª
8 - Aquisição de Serviços para a Iluminação de Natal, 20.000,00 €, Bernardino Castro Serviços Festivos, Lda
9 - Aquisição de Serviços para a Comunicação, Divulgação e Promoção do Natal, 74.800,00 €, Estudinvest - Publicidade e Marketing, Ldª           
10 - Aquisição de Serviços para o Aluguer de Estruturas Especificas para Natal, 74.750,00, Sigmaconstellation, Unipessoal Lda
11 - Aquisição de Serviços para a Conceção, Organização e Produção do Natal, 74.780,00 €, Timecapsule, Unipessoal Ldª

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Hosana, Hosana Despoluição do Noéme e Passadiços no Mondego

Foto do vídeo de apresentação dos passadiços 
“Como qualquer aniversariante, também a “mais alta” teve direito a presentes em dia de Aniversário (27 de novembro). O presidente da Câmara da Guarda, Álvaro Amaro anunciou na sessão solene, presidida pelo ministro do ambiente, dois Estudos Prévios: a Requalificação ambiental e a despoluição dos rios Noéme e Diz e a Construção dos Passadiços do Mondego.
Assim reza a página oficial da Câmara da Guarda sobre duas ideias ambientais apresentadas no doa da cidade e para serem realizados daqui a quatro ou cinco anos.
Blogue “Crónicas do Noéme”, Terça-feira, 29 de novembro de 2016
“Descarga poluente no rio Noéme - 26/11/2016”
“Enquanto não chegam os estudos prévios, mais uma descarga poluente no rio Noéme”
O que nos oferece dizer sobre o tema:
1 – Passadiços
Tirando os passadiços de praia que já são quase vinte, já existem espalhados pelo País mais sete passadiços e os gabinetes de arquitectura, que fazem isto, encontraram a galinha de ovos de ouro junto dos autarcas. Daqui a 4 ou 5 anos poderão ser algumas dúzias de passadiços espalhados por esses rios fora.
2 – Despoluição do Noéme
Quem segue o Blogue “Crónicas do Noéme” está a par do que se passa com este rio e as descargas que são feitas directamente para o rio, sem passar pela ETAR.
As descargas atribuídas a uma unidade industrial vai-se arrastando sem interesse das partes em resolver o problema.
É convicção que se as descargas industriais acabassem, os Invernos chuvosos encarregar-se-iam de despoluir o rio, assim vamos aguardar mais 4 ou 5 anos por este projecto.
Serão efectivamente projectos reformistas e estruturantes?