quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

Da minha Janela, vejo o mundo

Da minha janela ainda vejo o Mundo, um dia destes só vejo ventoinhas.

Amigos do Comércio Local

Adjudicação directa de consumíveis a empresa de S. João da Madeira
OHM – Técnica – Representações de Marcas Lda.
Zona Industrial Lote ¾
3700-138- São João da Madeira

terça-feira, 21 de Outubro de 2014

Pagamentos em atraso ao SMAS

Edifício do SMAS, no Centro Histórico, mais conhecido pelo no me de “edifício do Condão”
Os SMAS – Serviços Municipalizados de Agua e Saneamento da Guarda vão afixar avisos à porta dos consumidores de água com pagamentos em atraso e que lhe cortarão o serviço se não regularizarmos a situação.
Já imaginaram como seriam as fachadas das Câmaras Municipais com pagamentos em atraso se os seus fornecedores colocassem avisos de dívida? Só não o fazem porque na maior parte dos casos ficariam sem trabalho.

Distribuir o bem pelas aldeias

Para comemorar o primeiro ano de governação na Guarda, o Presidente da Câmara deu duas entrevistas, uma oral e outra escrita. Por acaso ou coincidência a entrevista escrita foi dada a um grupo e a oral a outro.
Podem ser lida e ouvida, em Jornal Interior e Rádio F

segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

Exposições do 10 de Junho: “Piné” continua, “Pontos de Vista” acabou

Integradas nas comemorações do dia 10 de Junho de 2014 realizadas na Guarda, o Senhor Presidente da República inaugurou duas exposições de pintura. Uma, exposta no Museu Regional da Guarda, com algumas obras da colecção de António Piné por este doadas ao Museu da Farmácia. A outra, com obras do próprio Museu, ficou no Paço da Cultura.
Ambas as exposições tinham o encerramento previsto para o dia 9 de Junho de 2014.
Sem explicações prévias, nem do Museu da Presidência da República, que organizou a exposições, nem do Museu da Guarda, a exposição “Pontos de vista” que estava no Paço da Cultura, acabou antes do prazo previsto. A de António Piné vai manter-se até 10 de Dezembro.
Assim em lugar dos “Pontos de Vista”, poderemos ver a partir de 16 de Outubro e até 15 de Novembro a exposição “Raízes” de Ana Leal.

domingo, 19 de Outubro de 2014

As Comunidades de amigos

Sede da CIMBB, Palácio Condes de Portalegre, antigo Governo Civil, em Castelo Branco. Origem da Foto: Câmara Municipal de Castelo Branco
Manuel Frexes destacado militante do PSD, antigo Autarca d Fundão, Administrador da empresa pública “Águas de Portugal” e actual Presidente da Comissão Política Distrital do PSD de Castelo, fez a sua campanha para a presidência em torno das Comunidades Intermunicipais e tudo fará para que a Comunidade das Beiras e Serra da Estrela seja dissolvida e que os Concelhos do Fundão e da Covilhã integrem a Comunidade da Beira Baixa
Isto é o que resulta da criação destas entidades, também chamadas dos “Amigos do Relvas” e sujeita aos humores e sabores do momento político e dos seus actores, continuando muito longe dos anseios das pessoas.
Rejeitaram a regionalização com votação para os seus órgãos e criaram as comunidades com nomeações cozinhadas longe dos olhares, nada tendo de democráticas.
Adenda: A Comunidade da Beira Interior e Serra da Estrela também quer o edifício onde esteve instalado o Governo Civil, para sede da Comunidade, não querem simplicidade e eficiência, querem pompa.  

sexta-feira, 17 de Outubro de 2014

Beira Interior e Beira Baixa em Paris

Como já escrevi há uns dias, o “Jornal do Fundão” organizou umas jornadas em Paris, com mostra de produtos e contactos com entidades locais.
Os participantes seriam os Presidentes de Câmara, empresários e outras entidades que se julgassem interessantes para a promoção da região integrada na CIM da Beira Baixa e Beira Interior Serra da Estrela.
As páginas oficiais da Câmara da Guarda não dão conta de representantes do Concelho naquele evento pelo que julgamos que não houve interesse do executivo em estar representado em Paris. 

quinta-feira, 16 de Outubro de 2014

Guia do Investidor na versão ACG

A ACG – Associação de Comércio e Serviços do Distrito da Guarda, em conjunto com a sua congénere de Viana do Castelo publicou um suplemento no jornal de economia “Vida Económica” um guia do investidor para a Guarda.
Eis o que é dito:
Localização geoestratégica privilegiada no contexto da globalização
Junto à raia central fronteiriça da Beira Interior (40 Km de Salamanca) e equidistante entre Lisboa e Madrid (cerca de 300 Km)
Rede de Transportes funcional e integrada
Principal itinerário de trocas comerciais. Forma o corredor entre a Costa Atlântica e Centro e Norte da Europa (Trans-European Transport Core Network)
Infraestruturas logísticas de elevado potencial
Parque Logístico de Iniciativa Empresarial (PLIE) com 960 000 m2 e integrado no corredor logístico Sveiro/Figueira da Foz – Coimbra – Viseu – Guarda – Salamanca – Valladolid – Irun.
Zonas de acompanhamento Empresarial atrativas
Além da incontornável PLIE destacam-se a Área Industrial da Guarda – Gare, o Parque Industrial da Guarda e ainda as Zonas Industriais de Vale de Estrela e do Porto da Carne.
Disponibilidade, qualificação e competitividade da força de trabalho
Representa 47% da população ativa da Beira Interior Norte. A mão-de-obra é jovem (59% com idade até aos 44 anos) e possuiu elevada qualificação (17% com ensino superior e outros 17% com ensino secundário)
Centros de saber e de transferência de conhecimentos para o tecido empresarial
4 Escolas de ensino superior politécnico público no distrito (integradas no Instituto Politécnico da Guarda). Na investigação do IPG destacam-se as competências multidisciplinares, por exemplo: economia e gestão, saúde, informática, engenharia civil, ambiente, mecânica, etc.
Elevado potencial para as dinâmicas empresariais
Potencial dos recursos endógenos naturais para as diversas atividades ligadas aos clusters das energias renováveis, pedra, agroalimentar, etc. Sinergias com um tecido empresarial que representa 44% do nº de empresas e 59% do volume de negócios da Beira Interior Norte. Boas práticas de cooperação público/privada (PLIE) e dinamismo das associações empresariais.
Elevada qualidade de vida
Vivência urbana tranquila, segura, afável, em contacto com a natureza e com um ar distinguido internacionalmente pela salubridade e pureza.
Nota
O executivo da Câmara da Guarda adjudicou à ADSI elaboração de um “Guia do Investidor para a Guarda” pelo valor de 12500 Euros.
ADSI – Agência de Desenvolvimento da Sociedade de Informação - «A Guarda Digital, promotora deste portal (ADSI), é uma associação sem fins lucrativos que visa desenvolver as tecnologias de informação e comunicação na região da Guarda bem como combater a info-exclusão.»

Alguns rendimentos dos Deputados Europeus

Parlamento Europeu, Estrasburgo, Foto Wikipédia
A ONG “Transparency International (TI)” fez um estudo sobre o que ganham e declaram os Deputados Europeus
1 – Um Deputado Europeu sem extras recebe cerca de 19 mil Euros, salário bruto, mais diárias, despesas gerais, viagens etc. e paga cerca de 22% de impostos.
2 – 398 Deputados (53%) têm actividades externas
3 – 175 Deputados declaram que pelo menos recebem 5 mil Euros pelas actividades extra
4 – 12 Deputados declaram receber mais de 10 mil Euros pelas actividades extra
5 – O Deputado português que mais ganha com os extras declara que recebe entre 500 e mil Euros como Professor universitário, entre mil e 5 mil Euros como comentador, entre 5 mil e 10 mil como Advogado e pode ganhar mais algum na direcção de uma associação e numa “holding”.
6 – Dos restantes Portugueses, 6 admitem ter actividades extra.
(Fonte: Jornal Público, 14/10/2014)

quarta-feira, 15 de Outubro de 2014

Moinho, Quinta da Taberna, Videmonte

 A Quinta da Taberna pertence à Freguesia de Videmonte, está implantada num pequeno cabeço na margem direita do Rio Mondego. Em pleno Parque Natural da Serra da Estrela, foi uma quinta importante para a agricultura e pastorícia. Em tempos áureos viviam lá mais de 20 pessoas e agora está praticamente deserta.

A Conta do BES na Versão Cavaco

Os contribuintes passaram a saber a quem apresentar a conta caso o BES seja vendido barato.
“Cavaco quer clarificar uma "coisa completamente errada": garante que os contribuintes não vão pagar custos do BES”
"Há uma coisa que tem sido dita nos últimos dias e está completamente errada - que pela via da redução dos lucros da CGD, os contribuintes podem vir a suportar custos pela resolução do BES. Se fosse assim, teríamos de dizer que quando uma família ou empresa não paga empréstimos, então os contribuintes também estavam a suportar um custo”.
“Quando a CGD contribui para o fundo de garantia de depósitos ou dá um donativo ou concede um empréstimo bonificado, está a lançar um custo sobre os contribuintes - ter-se-ia que dizer que toda a despesa da CGD é um custo para o contribuinte”
"Quem o diz não percebeu ou não entende que a CGD é uma actividade mercantil exercida pelo Estado, sujeita aos riscos do negócio bancário e que tem de cumprir as leis do país no que se refere a esse negócio. Contribuir para o fundo de resolução é parte do negócio - a CGD está em competição com os outros bancos”