terça-feira, 2 de Setembro de 2014

A. J. Seguro na Guarda

António José Seguro esteve na Guarda a inaugurar as obras de remodelação da sede distrital.
Em declarações à Rádio Altitude “o secretário-geral do PS promete que «teremos oportunidade, um dia, de falar com mais detalhe» dos acontecimentos que levaram à derrota do partido nas autárquicas de 2013 na Guarda”.
“Em resposta à pergunta da Rádio, garantiu que não gosta de «olhar para o passado» e declarou que a responsabilidade do Partido Socialista na Guarda passa por «afirmarmos uma alternativa de modo a merecermos nas próximas eleições a confiança que não obtivemos nas eleições passadas», assegurando que «contarão com toda a minha disponibilidade, apoio e entusiasmo para encontrarmos a melhor solução para voltarmos a governar este concelho».
Das declarações parece realçar que António José Seguro está a preparar-se para escrever as memórias.
Se uma discussão tão importante como é a da perda da Câmara da Guarda é remetida para um dia lá longe, não percebeu o que se passou e passa na Guarda, mesmo sendo ele militante no Concelho.
Já agora, quando escrever as memórias, aborde o seu trabalho político no Distrito e depois a sua acção em prol do seu desenvolvimento.
Nota de rodapé 1: A Concelhia da Guarda do PS foi desalojada da sede Distrital ou nunca lá esteve?

segunda-feira, 1 de Setembro de 2014

Guarda: Concessão privada da recolha de lixo

A Câmara da Guarda vai concessionar a recolha de lixo a privados por 5 anos, esta operação vai permitir ganhos de 1 milhão de Euros. A operação está dependente do TC – Tribunal de Contas.
Segundo sei, nesta operação estão em causa 25 trabalhadores que poderão escolher entre continuar a ser funcionários da câmara ou passar a trabalhar na empresa a quem é concessionado o trabalho.
Ora coloquemos, a hipótese académica, de todos os 25 funcionários quererem ficar na Câmara, quanto é que isso representa para a Autarquia?
Se cada funcionário, entre salários e contribuições, custar 800 Euros, isso representará um encargo adicional de: 25 funcionários * 800 € *14 meses * 5 anos = 1 milhão e 400 mil €, nada mal.
Para uma Autarquia que, segundo o Presidente, já tem gente em excesso, que irá receber funcionários da “Culturguarda” e da “Cidade do Desporto” e ainda a possibilidade de mais estes, em funções não necessárias? Contas difíceis vão ser,

O nevoeiro de D. Sebastião


domingo, 31 de Agosto de 2014

Acredite – Culturguarda/TMG

Foi apresentada a programação do Teatro Municipal da Guarda para o último trimestre (neste caso 4 meses) de 2014. Do Editorial da “Agenda Cultural” o Presidente da Câmara destaca:
“Três indicadores avaliativos de desempenho do Teatro Municipal da Guarda estrutura cultural do município”
“Em 2014 há uma redução na ordem de 20% com gastos anuais de programação”
“Em 2014 há um aumento das receitas com a realização de congressos e outros eventos de entidades externas”
“No primeiro semestre de 2014 regista-se um aumento de afluência de espectadores”
Durante a conferência de imprensa ainda foi dito:
No 4º Trimestre de 2014, a Autarquia da Guarda só vai ter um custo de 9 mil Euros com a programação do TMG – Teatro Municipal da Guarda, o restante será obtido com as receitas de bilheteira pagos pelos assistentes aos espectáculos.
O objectivo de gestão é ter mais gente, com menos custos, garantindo a qualidade.
Desde o início do ano houve uma redução de custos de 21% e um crescimento de 5% de espectadores
Para quem quer fazer trabalho político na oposição há aqui muito que perguntar. 

Fontes Santas de Manteigas

Nas Termas de Manteigas temos o esplendor da Fonte Santa Inox no edifício termal e a singeleza da Fonte Santa original, na estrada junto ao viveiro das trutas

sábado, 30 de Agosto de 2014

Manteigas: Os Vitrais da Câmara

Vitrais no átrio da Câmara Municipal de Manteigas com o D. Sancho I que lhe puseram na frente

Incompetência e Estádio Novo

Selecção Portuguesa de Futebol
«Nem o estágio nos EUA nem Campinas determinaram maus resultados». «Não fomos competentes», disse, simplesmente, o presidente federativo.
Quem pagou a incompetência foi a equipa médica, despedida.
Finalmente: Paulo Bento reconheceu agora que Cristiano Ronaldo não está em condições de competir. Só agora viu isso?
Estádio Novo da Covilhã
O Sporting Club da Covilhã foi “obrigado” a mudar-se na época 2005-2006 para o novo Complexo Desportivo da Covilhã, na planície, onde as instalações são modernas e mandadas fazer por Carlos Pinto, anterior Presidente da Câmara.
Em junho do ano passado, a direção tomou a decisão de voltar ao Estádio Santos Pinto, na serra, mas devido a impedimentos burocráticos só agora o clube obteve a autorização de o utilizar.
Irá morrer o novo estádio?

sexta-feira, 29 de Agosto de 2014

A Maternidade da Guarda de novo na baila

Planta do Parque da Saúde com implantação do Hospital, desactualizada, ainda em vigor
O texto é suficientemente claro e não precisa de mais acrescentos. A maternidade da Guarda vai voltar de novo à baila e o fecho deve voltar a estar em cima da mesa.
Rita Dinis, Helena Pereira, Jornal on-line “Observador”, 26/08/2014
“O Ministério da Saúde ordenou na segunda-feira a criação de um grupo de trabalho sobre a rede de maternidades. O despacho, que surge no contexto da Reforma Hospitalar prevista pelo Governo para esta legislatura, foi publicado ontem em Diário da República mas com data de assinatura de 18 de agosto. O prazo para a conclusão dos trabalhos é 30 de dezembro, o que empurra uma possível decisão sobre o encerramento de maternidades para 2015, último ano da legislatura”.
“Para dirigir o grupo de trabalho sobre a rede de maternidades, que se insere na proposta de criação de Redes Nacionais de Especialidades Hospitalares e de Referenciação, no âmbito da Reforma Hospitalar, o ministério nomeou Jorge Manuel Tavares Lopes de Andrade Saraiva, presidente do Colégio de Especialidade da Genética Médica da Ordem dos Médicos. O estudo deverá estender-se até ao final do ano, prazo dado pelo Ministério para apresentar as conclusões, sendo que só depois dessa data é que o Governo pode decidir sobre esta matéria. O Governo terá então de janeiro de 2015 até setembro, data em que termina a legislatura, para pôr em prática a Reforma Hospitalar e, designadamente, decretar o encerramento das maternidades”.
“No domingo, o primeiro-ministro Pedro Passos Coelho queixou-se, em Valpaços, de que não conseguia fechar maternidades, afirmando que se tratava de um “caso paradigmático” que o Executivo não conseguia resolver. “Andamos quase há dois anos e não conseguimos encerrar [maternidades] porque há sempre expedientes administrativos e jurisdicionais que o impedem. Depois aparece a desinformação à mistura”, disse, apontando o dedo a “estruturas anacrónicas que impediram o país de crescer”.

Renault: Convívio Guarda/Cacia

Nas arrumações de Verão encontrei este belo exemplar de artesanato, peça única.
É dedicado aos amigos e companheiros da Renault Portuguesa (Guarda, Aveiro, Lisboa, Setúbal) especialmente aos que trabalharam no SCP – Serviço Central de Produção.
Será devolvido a quem fizer prova de ser o dono.

quinta-feira, 28 de Agosto de 2014

Mercado de produtos endógenos

Serra da Estrela: O grande supermercado de produtos endógenos, ali ao lado do Mondeguinho, nascente do Rio Mondego.

Vandalismo em Manteigas

Manteigas - Isto não foi o resultado de um furacão: foi vandalismo

quarta-feira, 27 de Agosto de 2014

"O viveiro do PSD"

Viveiro de trutas de Quadrazais
Duarte Marques, Deputado do PSD, com créditos firmados:
“Se queremos políticos de qualidade, com formação, com valores e com experiência temos que investir neles e deixar de desperdiçar dinheiro em futilidades”.
A Universidade de Verão (UV) da JSD / PSD/ Instituto Sá Carneiro é a solução.
“Dedico esta crónica à formação política pelo orgulho que tenho neste "produto" mas também na importância que deve assumir a formação nos partidos políticos em Portugal”.
Larguem os vossos estudos, o vosso trabalho, as vossas vidas e corram a inscrever-se na UV, o futuro está garantido.
Com esta apologia ainda querem que os Portugueses acreditem nos partidos?

As eleições na Distrital PS

A vida dos partidos políticos e seus militantes tem sido desenvolvida em torno de qualquer coisa:
Foi a política “em torno da Pintura de Paredes”~
Foi a política “em torno da Colagem de Cartazes”
Foi a política “em torno da Carne Entremeada”
Agora é a política “em torno do Porco no Espeto”
Agora, Eduardo Brito, Autarca de Seia, vem dizer que a política deve ser “queimar as pestanas na procura de novas soluções e novos pontos de contacto com as outras forças políticas e com a sociedade”
Pode ser assim, desde que se continue a garantir os direitos sobre os lugares disponíveis.